Liuba Sousa

Open Call

Dreamscape


Em Granada 

O ar é agradável,
Repleto de musica e história
O que passa, voa
Comido pelo vento
Como as palavras saem
E se libertam por mim
Deixando ficar o tormento
A angústia de pensar
Que houve um momento
Recíproco de ti
No que me querias
E em que eu seria tua
Não mo dirias
E também não o saberias
Caminhando pelas ruas e avenidas Em tentativas perdidas
De não mencionar-te
E a todas as minhas feridas
Mas fui eu a que te imaginei
Só a mim isto me pertence
Fui eu a que te necessitei
Para isso trabalhei
No teu abraço nada saciei
E pensei
Gostava não te ter visto
Ou de reunir a coragem
Para dizer-te o que senti
O que não ficou dito
Entre longos abraços de despedida
Eu senti-te,
Fluiu apenas sobre mim
Durante todas as vezes
Que me prendeste ao teu peito
E desejei um beijo
Com tanta força
Que os meus pulmões secaram
Queimados em folhas de algodão
Não sei como ocorreu
Deixei-me a mim mesma fugir
Não o soubeste
Nem o te contarei
Deixa passar o seu tempo,
Quando o peso se libertar das minhas mãos E as minhas lágrimas
Outra pessoa me as beije
Linktree: https://linktr.ee/liubasousart

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s